O que você precisa saber sobre a adaptação escolar

adaptação escolar
9 minutos para ler

Um momento desafiador para as crianças é quando elas precisam ingressar pela primeira vez na instituição de ensino ou trocar de escola. Com a finalidade de evitar que essas mudanças influenciem no processo de aprendizado e em demais questões acadêmicas e, até mesmo, pessoais dos filhos, é necessário realizar a adaptação escolar.

Isso porque, além dos impactos que podem ser gerados na vida das crianças, é comum que os pais também se sintam ansiosos e inseguros nessa fase. É preciso adotar medidas adequadas para manter a tranquilidade e garantir que tudo saia como o esperado.

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo para explicar os principais pontos a respeito da adaptação escolar, como a sua importância, os principais desafios e as melhores estratégias a serem aplicadas nessa questão. Acompanhe para conferir.

O que é a adaptação escolar?

A adaptação escolar é um processo gradativo, que representa o período em que os alunos estão conhecendo e se adequando à instituição de ensino. Isso pode acontecer tanto no começo da idade escolar quanto na mudança de ambiente, em situações de troca de horário ou transição entre Educação Infantil e Ensino Fundamental, por exemplo.

Por que essa etapa é tão importante para a criança?

É muito importante que os pais, docentes e demais pessoas envolvidas entendam que cada criança apresenta uma forma individual de enfrentar esse novo momento. Algumas podem acostumar mais rápido, enquanto outras podem se assustar até terem confiança nas pessoas.

Sendo assim, ter cuidado na fase de adaptação escolar é imprescindível, tendo em vista que se trata do momento de introdução dos pequenos à vida em sociedade. Então, é necessário implementar todas as medidas adequadas para que o processo seja o menos traumático possível, e a criança consiga perder o medo e se sentir completamente segura para aprender a se relacionar com pessoas desconhecidas.

Tenha em mente que essa é a hora de se adaptar a uma nova realidade, rotinas, desligamento diário da família e de se acostumar com a ausência da mãe por um tempo. Demais fatores também contribuem para o desenvolvimento emocional e social dos filhos, como a criação de vínculos com outras crianças, professores e escola.

Quais são as maiores dificuldades dessa fase?

Existem diversas dificuldades nessa fase das crianças, que vão variar conforme vários critérios, como o perfil, faixa etária, comportamento dos pais, entre outros. Mas existem alguns que são mais comuns no processo de adaptação escolar, por exemplo:

  • no caso de alunos mais novos, entre os principais desafios estão a separação da família, o estresse, a desconfiança e o medo de ficar longe das pessoas que convivem a todo tempo;
  • já nos casos de crianças maiores, os principais conflitos estão ligados à dificuldade de acompanhar os métodos didáticos dos professores e de estabelecer bons relacionamentos com os colegas de turma.

Esse é mais um motivo para dar atenção à importância da adaptação, já que é o trabalho em conjunto entre família e escola que vai conseguir estimular a inserção do aluno a essas novas condições e garantir a sua confiança, o que garante um aprendizagem mais proveitoso.

Como superar os desafios da adaptação escolar?

Existem várias estratégias que podem ser aplicadas como forma de tornar o processo de adaptação mais simples, especialmente para a criança. Por isso, separamos a seguir as principais!

Prepare seu filho para esse momento

Um tempo antes das aulas começarem, inicie um dialogo com a criança, explicando como será o dia a dia, como vai ser legal ter uma professora e fazer amizade com um monte de coleguinhas.

Se possível, faça uma visita na escola com ele, além de pedir para acompanhar você no momento de escolher e comprar os materiais escolares. Com o tempo, ele vai se acostumar com a alteração de rotina e não deverá sentir tanto os primeiros dias de adaptação na escola.

Não se culpe caso, mesmo após toda essa conversa, seu filho não quiser entrar na escola e começar a chorar. Cada pessoa tem o seu momento, uns com adaptação mais rápida e outros não.

Então, se coloque no lugar dele, explique por quais motivos ele tem que ficar ali e aceite as emoções, independentemente de quais forem. É normal ele não querer que você vá embora, e tudo bem! O importante nesse momento é se sentir compreendido.

Estabeleça uma rotina

É muito importante que a criança vá todos os dias para a escola, devidamente uniformizada e no horário estabelecido, sempre respeitando os períodos de entrada e saída. Sendo assim, é preciso evitar que ela chegue muito cedo ou fique um tempo considerável além do fina da aula.

Tenha em mente que o atraso na hora de buscá-lo pode deixar seu filho com medo e inseguro, com a sensação que a mãe não voltará mais. Isso pode dificultar os momentos de despedidas e permanências nos dias posteriores.

Esteja atento às suas palavras

Algumas palavras, por mais simples que pareçam ser, podem influenciar de forma relevante na fase de adaptação do pequeno. Por exemplo, ao se despedir, evite falar frases como “você não vai chorar, vai?”. Isso pode, na verdade, induzir a criança a fazer exatamente o que se espera.

Outro erro que acontece bastante é gerar grandes expectativas, dizendo que a escola é incrível, maravilhosa, que as professoras são as melhores do mundo. Isso também pode prejudicar bastante na adaptação, já que pode trazer frustações para o seu filho.

Por fim, jamais diga mentiras. Por exemplo, falar que vai a um lugar, mas na verdade for para outro, ou ir embora sem se despedir. Saiba que esses comportamentos podem estremecer a confiança que ele tem em você e fazer com que pense que será abandonado na escola.

Monitore as eventuais mudanças de comportamento

Pode acontecer da criança ter mais crises de choro do que o habitual, não conseguir comer bem a noite, entre outras alterações. Nesse caso, não brigue com ela por esse motivo, já que é preciso entender o que está acontecendo e mensurar o quanto a mudança está mexendo com ela.

Pode ser que seja necessário chorar para se livrar do peso emocional acumulado pelas novas sensações vivenciadas. Então, acompanhe esses comportamentos com o máximo de carinho possível, já que todo o suporte dos pais é essencial nesse momento.

Compense os períodos separados

Busque ter um tempo de qualidade com a criança como forma de compensar o período em que vão ficar separados. Ela precisa do seu acolhimento e companhia para se sentir segura para superar os desafios. Sendo assim, o recomendável é dedicar um momento especial para ela, sem preocupações do dia a dia, celular ou demais motivos que podem trazer interferências.

Passe toda a confiança possível

Esteja preparado para passar toda a confiança possível para o seu filho, mas compreenda que pode ser necessário um tempo para ele assimilar que você vai embora, mas vai voltar para buscá-lo. Você pode utilizar certos termos nessa hora, por exemplo: “Estou indo embora, mas eu volto mais tarde” e, assim que retorna, afirmar o cumprimento da sua promessa, com frases do tipo: “Eu disse que ia voltar e voltei, viu?”. “Eu sempre vou voltar.”

Você também precisa estar seguro para passar confiança para o pequeno, principalmente porque, em certos casos, a adaptação escolar pode interferir em algumas sensações e deixar o pequeno com mais medo ainda. Lembre-se sempre que quanto mais confiante estiver, mais tranquilo vai deixar a criança.

Demonstre interesse pela rotina do seu filho

Mostrar seu interesse pela nova rotina da criança também traz segurança. Por esse motivo, sempre pergunte como foi o dia de escola. Além disso, busque saber sobre assuntos variados, por exemplo, se fez uma amizade nova, o que aprendeu na sala de aula, como foi seu desempenho escolar e outros assuntos que podem deixá-la animada ao responder.

Um outro ponto de atenção é que você precisa ficar atento a possíveis respostas evasivas ou quanto a indagação não tem nenhum tipo de resposta, já que isso pode indicar questões problemáticas da experiência do pequeno na instituição de ensino.

Aposte nos objetos de apego

É claro que mudar a rotina da criança dá trabalho, principalmente nesses casos que geram uma separação entre os filhos e os pais. Por esse motivo, você pode apostar em referenciais que criem um vínculo entre a casa e a escola. Nesse caso, os objetos de apego são uma ótima alternativa, como chupeta, paninho ou bichos de pelúcia. Após a adaptação, aos poucos esses itens vão sendo deixados de lado.

Atue junto ao professor da criança

Busque junto ao professor da criança as principais práticas que podem ser implementadas como forma de tornar a adaptação mais tranquila e menos traumática. Seu filho vai se sentir muito mais a vontade quando começar a estreitar o relacionamento com as pessoas da escola e, para isso, nada melhor que acolher os sentimentos do pequeno com muita compreensão e amor.

Como é possível perceber, a adaptação escolar tem um papel bastante relevante na vida da criança e dos seus pais. No entanto, a escola também exerce um papel de aliada importante nesse processo. Por isso, o ideal é contar com uma unidade de ensino que ofereça suporte necessário nessa etapa, para que tudo ocorra de forma bem-sucedida.

O Colégio Batista Brasileiro se preocupa em oferecer o melhor e tornar a adaptação da criança mais fácil e menos conflituosa para todos. Para entender como isso funciona, entre em contato agora mesmo para conhecer as metodologias aplicadas e esclarecer as principais dúvidas!

Sharing is caring!

Você também pode gostar

Deixe um comentário