Confira qual a importância de estimular a solidariedade nas crianças!

estimular a solidariedade
6 minutos para ler

A ideia de solidariedade nos leva a inúmeras de interpretações e conceitos complexos e abertos, já que boa parcela dessa compreensão se constrói com base nos ensinamentos que foram repassados ao longo da vida, desde a infância.

Contudo, em um meio tão desigual como o que vivemos, em que as pessoas não têm acesso às mesmas oportunidades, colocar a solidariedade em prática é imprescindível para atenuar os efeitos devastadores das diferenças sociais.

Estimular a solidariedade nas crianças é um ação muito importante. Ela ajuda a formar cidadãos mais empáticos e, consequentemente, com mais consciência social. Mas isso — nós também sabemos — não é uma das tarefas mais fáceis.

Neste conteúdo, vamos ajudá-lo nessa missão. Continue a leitura!

O que se pode entender como solidariedade?

Em uma sociedade composta por indivíduos únicos, com valores, crenças e visões de mundo tão distintas, limitar o que se pode entender por solidariedade seria restringir uma concepção muito ampla.

Entretanto, se consultarmos um dicionário em busca de uma definição, será possível encontrar algo como a qualidade de quem é solidário, daquele que está, dentro de determinada circunstância, disposto a ajudar, defender ou acompanhar outra pessoa.

Podemos dizer que a solidariedade é, em termos simples, preocupar-se com o próximo, agir com empatia e estender a mão àqueles que passam por momentos de dificuldade.

Como estimular a solidariedade nas crianças?

A conscientização das crianças acerca da relevância de importar-se com o próximo é determinante para que, futuramente, elas se tornem adultos conscientes sobre o papel que devem desempenhar na sociedade.

Para tanto, é importante que isso se dê de uma maneira que, de fato, faça-as levarem esses ensinamentos por toda a vida. A seguir, você conferirá algumas dicas de boas práticas que podem ser adotadas no dia a dia.

Zele por uma boa comunicação

A prática da solidariedade não deve ser, de forma alguma, vista pelas crianças como uma imposição, afinal, isso a faria perder o seu sentido.

Desse modo, é imprescindível zelar por uma boa comunicação que seja capaz de fortalecer esse ensinamento e colaborar para que, posteriormente, a própria criança tome tais iniciativas.

Por exemplo, antes de separar roupas e brinquedos para doação, converse com o seu filho. Nesse momento, aproveite para explicar por que é válido fazê-lo e escute o que ele dirá a respeito.

Ensine-as a serem empáticas

Aprender a colocar-se no lugar do próximo é o primeiro passo para se tornar mais solidário. Então, ao tentar estimular a solidariedade nas crianças, tente fazê-las imaginar como seria estar naquela mesma situação.  

Torne a prática da solidariedade uma parte da criação

Não é incomum que as pessoas, de maneira inconsciente, “esperem” a chegada de determinadas datas e de certos períodos, quando campanhas de ajuda ao próximo são promovidas com maior frequência.

No entanto, não é necessário (e nem recomendável) aguardar um momento especial — por exemplo, o Natal — para colocar a solidariedade em prática. Na realidade, o ideal é que ela seja parte da educação dos filhos, sendo ensinada e reforçada da mesma maneira que as demais condutas, como agradecer, dar “bom dia” ou “boa noite” e pedir licença. 

Seja o exemplo

Por fim, mas não menos importante, é essencial que você seja o exemplo — e essa dica vale para qualquer valor que você queira desenvolver no seu filho.

Como as crianças têm a tendência de “copiar” o que fazem os adultos ao seu redor, se você e os demais familiares agirem com solidariedade, importando-se com as dores e dificuldades do próximo, a compreensão desse conceito pela criança será muito mais fácil.

Contudo, vale dizer que isso se torna ainda mais perceptível aos olhos dos pequenos quando acontece por meio de pequenas ações cotidianas, como ajudar um parente acamado ou um vizinho que esteja atravessando um momento delicado.

Em quais situações esse ensinamento pode ser colocado em prática?

É importante que a solidariedade não seja restrita a determinadas épocas do ano, mas que faça parte do cotidiano da família. Isso fará com que a criança a veja colocada em prática das mais variadas maneiras e nos momentos mais diversos, facilitando a absorção desse ensinamento. 

Se você quer passar a tornar a empatia um valor intrínseco à cultura do seu lar, é possível que as oportunidades de agir com solidariedade para com o próximo sejam “criadas”. A seguir, confira algumas sugestões para fazer isso acontecer.

Estimule a doação de itens

Brinquedos, roupas, sapatos — vale tudo e não estamos falando apenas dos pertences do seu filho. Lembra-se da importância de ser o exemplo? Pois é!

Então, que tal implementar uma cultura em que, a cada novo item que “entra” em casa (seja um sapato novo, seja um livro, seja um brinquedo, seja uma vestimenta etc.), outro da “mesma categoria” seja doado?

Essa prática, além de estimular a solidariedade, evita acúmulos e garante que a sua família esteja constantemente colaborando para o bem-estar do próximo.

Converse com a escola sobre as possibilidades de abordagem do tema

Ter a parceria da instituição de ensino nessa missão de estimular a solidariedade é bastante interessante, já que esse espaço também desempenha um papel expressivo na formação das crianças e dos jovens. Inclusive, por isso é tão essencial que a escola tenha valores e princípios alinhados aos da sua família.

Que tal reunir-se com a direção e com os educadores e propor que algumas campanhas solidárias sejam promovidas ao longo do ano? Uma boa sugestão pode ser organizar uma visita a uma ONG local levando toda a classe para conhecer o trabalho realizado e a realidade das pessoas impactadas por ele. 

Estimular a solidariedade nas crianças pode não ser uma tarefa tão simples, mas com boa vontade e disposição para implementar a cultura da empatia e da ajuda ao próximo no seu lar, tudo se torna mais fácil. Além disso, se você puder contar com o colégio em que os seus filhos estudam como parceiro nessa missão, o sucesso será um resultado garantido!

Diante disso, que tal ter a certeza de fazer uma escolha acertada no momento de matricular os seus filhos e garantir que a instituição de ensino pregue e pratique os mesmos valores e princípios adotados no seu lar? Entre em contato conosco e conheça a filosofia educativa do Colégio Batista Brasileiro.

Sharing is caring!

Você também pode gostar

Deixe um comentário