Como incentivar o aprendizado das crianças na primeira infância?

primeira infância
6 minutos para ler

A primeira infância corresponde ao período de vida de zero até os seis anos de idade e é extremamente importante para o desenvolvimento. Nela, a criança faz várias interações com o ambiente e passa a desenvolver novos aspectos, como emocionais, físicos, cognitivos e sociais.

Pelo fato do cérebro passar por certas mudanças e estar mais aberto a novos estímulos, é indispensável que os pais e as instituições de educação exerçam a função de criar um ambiente favorável para que esse processo natural de desenvolvimento aconteça da melhor forma.

Pensando nisso, elaboramos este artigo para apresentar dicas de como incentivar o aprendizado das crianças nessa etapa. Acompanhe!

1. Realizar brincadeiras

Por meio das brincadeiras as crianças ganham espaço para expressar seus sentimentos, aprender a lidar com as suas emoções e despertar a criatividade. Também passam a ter mais facilidade para se comunicar e relacionar com as outras pessoas.

Sendo assim, brincadeiras lúdicas devem ser implementadas tanto em casa quanto na escola, que é o local onde essas crianças passam a maior parte do tempo.

2. Interagir com a família

Durante a primeira infância, o contato com os outros atua diretamente (e positivamente) no aprendizado, já que isso vai criar um vínculo mais forte. A presença dos pais, por exemplo, é uma das peças importantes para o desenvolvimento das crianças, inclusive na rotina escolar.

As interações (sejam conversas, brincadeiras, contar histórias), ajudam no desenvolvimento da fala, no entendimento das palavras e na criação de uma consciência social. Por isso mesmo, o ambiente em que as crianças estão inseridas é muito importante. Em um ambiente harmônico, elas se sentem mais seguras para apostarem em novas tarefas no dia a dia.

3. Contar e ler histórias

Também, é necessário criar o hábito de leitura desde os primeiros anos de vida. Isso porque, além de auxiliar na alfabetização, estimula a imaginação e criatividade. Além disso, a mensagem das histórias podem ensinar sobre relacionamentos, sentimentos, valores e demais aspectos.

Por intermédio dessa prática, os pequenos ainda podem exercitar a atenção, se comunicar, entender sobre o mundo, aperfeiçoar a linguagem e melhorar a escrita.

4. Estimular o autoconhecimento

O autoconhecimento engloba vários pontos, como a descoberta do corpo, limitações, como lidar com os sentimentos, necessidades físicas, etc. Ou seja, colabora para que a criança entenda a respeito do seu lugar na sociedade, potencial e responsabilidades.

Sendo assim, é importante estimular o autoconhecimento da criança para ajudar nesse processo, nem sempre dê as respostas prontas, mas desafie para que possam refletir sobre situações, já que isso vai gerar mais controle emocional e inteligência.

5. Ouvir música

A música tem o poder de influenciar nos sentimentos e emoções. Além de acalmar, constrói bons momentos entre outros. Também por meio da música, os pequenos podem treinar a coordenação motora e o ritmo e, por isso, é uma ação que deve perdurar na educação infantil e demais fases da vida de qualquer pessoa.

6. Promover boas noites de sono

Durante o sono o organismo libera vários hormônios indispensáveis para a saúde, como o hormônio do crescimento. Dessa forma, é essencial que as crianças tenham um dia a dia com a hora de irem dormir já definido.

Pessoas com uma rotina de sono ajustadas podem apresentar menores riscos de desenvolvimento de complicações relativas ao déficit de atenção e problemas de ineficiência no processo de aprendizagem.

7. Manter uma alimentação balanceada

Uma alimentação adequada e saudável, rica em vitaminas e nutrientes é importante para o desenvolvimento infantil e aprendizado. Afinal, essa é a fonte de energia que proporciona aos pequenos a animação necessária para as brincadeiras, aumento da capacidade de memorização e demais benefícios.

8. Ouvir a criança

Não é legal ter uma ideia fixa de que a criança não tem vontade própria e que deve obedecer várias regras criadas por adultos. Muito pelo contrário, é preciso ouvir o que os pequenos têm a dizer ou perceber seus comportamentos e gestos, mesmo que não saibam falar, tendo em vista que essa compreensão é importante para identificar como anda o desenvolvimento cognitivo, emocional e social.

9. Respeitar o tempo de cada criança

É necessário salientar que os pais e professores precisam ter cuidado com as expectativas que criam sobre cada pequeno. Os perfis das crianças precisam ser respeitados e comparações não devem acontecer. Essa atenção vai fazer com que elas se sintam motivadas a busca ainda mais conhecimento.

10. Lidar com os porquês

O fato é que chega uma certa idade em que as crianças querem respostas para tudo e, em muitos casos, as pessoas adultas não sabem como explicar um certo questionamento. Nesse caso, o ideal é responder tudo que conseguir e, caso não saiba o que falar, mostre que a dúvida dela faz sentido e reconheça que não sabe a resposta.

Essa medida é bastante importante para o desenvolvimento dos pequenos, levando em conta que é fundamental não apenas para o conhecimento, como também para a diferenciação entre o imaginário e o real.

11. Ter a plena consciência de que as crianças não são iguais

Não faça comparações entre as crianças. É preciso entender que cada pessoa é única e essa regra também vale para os pequenos. Ainda que a etapa de desenvolvimento infantil possa parecer complexa, cada uma tem suas dificuldades, seu tempo, preferências e personalidade.

Sendo assim, é necessário evitar frases como: “seus coleguinhas fizeram, você também deve fazer”, ou “todos os meninos são assim”, considerando que isso pode prejudicar a formação da confiança e o desenvolvimento individual do pequeno.

Como pode perceber, a primeira infância é uma etapa decisiva na vida de qualquer criança. Com isso, é extremamente relevante incentivá-las e mostrar os impactos que o desenvolvimento adquirido pode causa para a vida, tanto no âmbito emocional, físico ou cognitivo.

Apesar de ser um processo desafiador, quando os pais e as instituições de educação atual em conjunto por meio das práticas mais eficazes respeitando o perfil e o protagonismo de cada criança, diversas vantagens podem ser alcançadas, contribuindo para o sucesso do processo de aprendizagem, 

Este artigo foi útil para você? Esperamos que sim! Deixe o seu comentário aqui e compartilhe com a gente a sua opinião e experiências a respeito do assunto!

Sharing is caring!

Você também pode gostar

Deixe um comentário