Uso de videogames: entenda como pode ser benéfico para seu filho

uso de videogames
9 minutos para ler

O uso de videogames já foi muito condenado por especialistas no passado, geralmente, apontando para alguns dos malefícios de seu uso. Porém, com o passar do tempo, boa parte dos educadores começaram a ver seus benefícios no desenvolvimento de crianças e jovens.

O tempo em que se falava que videogames deixavam as pessoas antissociais, violentas ou sedentárias já passou. Hoje, existe um foco muito maior em tudo de bom que o uso dos jogos eletrônicos podem trazer, melhorando reflexos, capacidade de raciocínio e relaxando do estresse do dia a dia.

Claro que nada em excesso é bem-vindo, e assim como qualquer outra atividade, é preciso haver um controle acerca das horas dedicadas aos videogames — porém, o seu uso pode ser muito benéfico para seus filhos. Confira algumas das vantagens dos jogos eletrônicos!

Os benefícios do videogame para o desenvolvimento neurológico

Os videogames já foram tidos como vilões do desenvolvimento, no entanto, nos últimos tempos, vários benefícios de seu uso por crianças e jovens vêm sendo descoberto por especialistas, que agora não mais proíbem seu uso, mas incentivam. Vamos listar alguns dos principais.

Melhora a concentração

Um problema comum nas crianças hoje, devido ao excesso de tecnologia, é a dificuldade de concentração. Os videogames podem ter um papel fundamental para apoiar os jovens a manter o foco em suas atividades.

Jogar exige concentração e um bom uso da memória visual e auditiva, pois o jogador recebe uma série de instruções ao longo da partida que deverá lembrar mais tarde. O domínio de todas as funções do controle ou teclado também exige um grande nível de foco e memória muscular.

Uma pesquisa realizada pelo departamento de psicologia da Universidade de Leiden, na Holanda, declarou que games de tiro em primeira pessoa como Call of Duty e Counter Strike, contribuem para a melhoria da concentração e memória de seus jogadores.

Segundo o estudo, ao participar das partidas, o cérebro dos jogadores é treinado a compreender e memorizar os padrões de jogo de outros participantes para traçar estratégias de contra-ataque, melhorando a capacidade de raciocínio e a concentração.

Ao mesmo tempo, quem joga esse tipo de game acaba tendo uma mentalidade mais flexível e adaptando-se mais rápido a diferentes estímulos visuais e auditivos.

Desenvolve a habilidade espacial

Muitos jogos, chamados de mundo aberto, contêm mapas gigantescos, exigindo que o jogador se mova por todo o local para a realização de várias tarefas, o que estimula o desenvolvimento da habilidade espacial.

Alguns jogos, ainda mais simples, apresentam grandes mapas e nenhum tipo de recurso de navegação, o que faz com que eles tenham de desenvolver ainda mais seu senso de direção e orientação para realizar as tarefas.

Esse é o caso do famoso Minecraft, que tem um grande mundo virtual 3D, com vários ambientes diferentes, no qual o jogador é livre para explorar e construir, praticando suas habilidades espaciais de tempo e distância.

Ensina a perder

Uma das maiores dificuldades dos pais é ensinar seus filhos a lidar com as frustrações, já que, na maioria do tempo, eles estão protegidos no seio familiar e não estão expostos a erros e problemas.

Os jogos de videogame são uma ótima forma de fazer com que as crianças e jovens aprendam a perder, uma vez que, dentro dos games, a derrota é algo totalmente normal e acontece o tempo todo.

Ao mesmo tempo, o recomeço é possível também em todas as vezes que se sofre uma derrota, mostrando para a criança que o fracasso faz parte do caminho para a vitória.

Essas são lições fundamentais para a vida adulta, mostrando que é completamente natural sofrer algum fracasso, mas que sempre podemos continuar tentando até alcançarmos o objetivo.

Estimula a coordenação motora

Mesmo que os videogames tenham sido por muito tempo considerados um motivo para o sedentarismo, a verdade é que eles estimulam a coordenação motora em crianças e jovens — principalmente os jogos interativos, como os do console Wii, da Nintendo.

Um estudo realizado pela Universidade de Toronto, no Canadá, descobriu que jovens que costumam jogar games de ação, como Assassin’s Creed ou Call of Duty, são mais capazes de apreender novas atividades sensoriais.

Segundo os dados coletados no estudo, pode-se até mesmo aplicar o uso de games desse tipo para o tratamento de pessoas que têm dificuldade e problemas motores gerais, visando estimular o seu desenvolvimento.

Contribui para o aprendizado do inglês

A grande maioria dos jogos eletrônicos são produzidos por estúdios americanos, tendo como base o inglês como a língua utilizada para contar histórias, dentro de menus e configurações.

Isso faz com que os jogadores se obriguem a aprender a interagir em inglês, para que possam entender a história do game e realizar todas as ações necessárias dentro do jogo para atingir a vitória.

Além disso, existem vários jogos online, que agrupam jogadores do mundo todo, sendo que, dentro desses espaços, a língua oficial acaba sendo também o inglês. Ou seja, mesmo nesses ambientes, a criança ou jovem precisa praticar, ouvir e falar em inglês para que possa se comunicar com outros jogadores dentro da partida.

Ajuda a socializar

Por mais que jogar videogames possa parecer uma atividade solitária, o desenvolvimento dos jogos online desmistificou isso. Hoje, grande parte dos players jogam diretamente com amigos — pessoas conhecidas no mundo real ou mesmo de maneira virtual.

Dessa forma, temos milhões de pessoas interagindo dentro de jogos online, como League of Legends, Fifa, Dota e vários outros exemplos. Esses jogos criaram grandes comunidades, nas quais, muitas vezes, acabam contribuindo para a interação social entre os jogadores.

Uma pesquisa realizada na Texas Tech University acerca de empatia, declara que jogadores que participam dessas comunidades estão muito mais propensos a ajudar novos players dentro do mundo virtual, o que reflete diretamente no mundo real.

Desperta o senso investigativo

Vários games exigem de seus jogadores um alto nível de concentração para a resolução de problemas, desenvolvendo um senso investigativo em crianças e jovens.

A resolução de puzzles e desafios dentro do mundo dos games pode refletir diretamente nos resultados escolares das crianças e jovens, melhorando suas notas, pois eles podem começar a entender melhor cada problema proposto.

Diversos professores e escolas já começaram a atuar com um processo conhecido como gamificação. Isso nada mais é do que a adaptação de atividades em um modelo lúdico, instigando os alunos a interagirem de uma forma que eles conhecem e se identificam.

Quanto mais um jogo é envolvente, maior a necessidade de saber do aluno, que acaba assimilando o conhecimento de forma natural e automática.

Prepara para o mundo digital

Estamos cercados de tecnologia por todos os lados e é praticamente certo que nossos filhos terão várias atividades digitais dentro de seu dia a dia de trabalho no futuro. A grande maioria das profissões será ligada à tecnologia.

Os games auxiliam a preparar as crianças e jovens para esse mercado de trabalho do futuro, uma vez que o ambiente digital se torna algo simples e comum em suas vidas. Os videogames já deixaram de ser apenas uma diversão para se tornarem quase que um treinamento para o futuro.

A criação de uma rotina de uso saudável de videogames

Mesmo que os videogames possam ter todos os benefícios para o desenvolvimento de crianças e jovens, é preciso lembrar que tudo em excesso pode trazer problemas. Por conta disso, o ideal é seguir algumas pequenas regras na hora de liberar a jogatina. Vamos listar alguns cuidados.

Avalie os jogos

O primeiro ponto é avaliar quais jogos seus filhos estão jogando. Mesmo que jogar videogame seja bom para o desenvolvimento, nem todos os jogos podem ser adequados de acordo com a idade de seu filho.

Além disso, alguns games podem ser mais interessantes para o desenvolvimento do que outros. Por exemplo, se você quer que seu filho desenvolva habilidades sociais, jogos comunitários podem ser muito mais úteis.

Evite games muito violentos

A violência dos games sempre foi um dos principais problemas apontados pelos pais nos jogos eletrônicos, sendo que esses estímulos são julgados pela maioria como causadores de situações negativas.

Jogos de terror, por exemplo, podem trazer problemas para dormir depois. Jogos muito violentos também não são interessantes para determinada faixa etária. Alguns games trazem um controle de violência, permitindo, por exemplo, bloquear a exibição de sangue.

Incentive os jogos coletivos

Comunidades online são uma ótima forma de desenvolver habilidades sociais e, por isso, é essencial incentivar seu filho a jogar esse tipo de game.

Dentro desses mundos virtuais, o desenvolvimento de habilidades como a empatia é acelerado, auxiliando na socialização das crianças e jovens. Um senso de pertencer a alguma coisa e fazer parte de algo é essencial para o desenvolvimento.

Participe desse momento com seu filho

Muitos pais são avessos a jogos eletrônicos, mas fazer um esforço e tirar um tempo para estar com seu filho jogando videogame é uma ótima maneira de estreitar laços e conseguir uma boa dose de diversão em família.

Estipule horários certos

Os videogames, como qualquer brincadeira, podem ser altamente estimulantes, o que leva a criança ou o jovem a sempre querer jogar.

O ideal é estipular um tempo em que os games estão liberados e horários específicos em que eles deverão se ocupar de outras coisas ou brincadeiras, garantindo assim que a jogatina sempre se mantenham como uma atividade saudável.

Chegamos ao fim deste post e esperamos que ele possa ter auxiliado você a entender a importância do uso de videogames no desenvolvimento de seu filho e como os jogos eletrônicos podem ser benéficos, quando utilizados com atenção e moderação.

Ficou com alguma dúvida? Quer contar alguma experiência ou dificuldade acerca dos games? Deixe um comentário neste post!

Sharing is caring!

Você também pode gostar

Deixe um comentário